Início » Consoles » Nintendo » Por que, mesmo depois de fugir do Brasil, ainda amamos a Nintendo?

Por que, mesmo depois de fugir do Brasil, ainda amamos a Nintendo?

Sabem porque a gente reclama, xinga e fala mal da Nintendo o tempo todo? Porque gostamos dessa empresa e desejamos que ela melhore. E você também, admita!

Desde o lançamento do Nintendo 64 eu ouço a mesma coisa: A Nintendo está falindo.

Nintendo-profits-header-article_image

Wiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! \o/

Quase todos os meses surgem boatos reforçando ou desmentindo tal fato. E desde então temos fanboys de um lado e haters do outro se digladiando numa batalha que provavelmente nunca terá fim. Eu pelo menos não quero que tenha fim, já que isso significaria o fim da empresa!

Apesar de todo o ressentimento por ela ter nos abandonado, eu e muitos outros ainda amamos a Big N. Mesmo com uma das piores eShops do mundo, nós ainda amamos vocês. Com toda a dificuldade de acesso aos consoles, jogos e acessórios, nós ainda assim amamos vocês.

Tudo isso não é apenas pela nostalgia que ela nos traz ou pela importância que Nintendo tem para toda a indústria existente hoje (assim como a Atari, mas isso seria pauta para um outro texto), mas pela diversão única que apenas os jogos deles conseguem nos proporcionar.

hyrule-historia

Eu sempre defendi que um jogo não é feito apenas de gráficos ultrarrealistas: os indies estão aí esfregando isso na cara dos incrédulos. Um jogo tem que ser divertido acima de tudo. E os haters que me desculpem, mas a franquia Mario – salvo pequenas exceções – consegue proporcionar isso de sobra. Zelda também faz isso e é sempre esperado com bastante ansiedade pela galera e, mesmo eu não conseguindo gostar da série, os jogos conseguem ter uma qualidade impressionante. Donkey Kong voltou das cinzas em grande estilo com dois excelentes jogos, lindos visualmente e trazendo a mesma jogabilidade que consagrou a série no Super Nintendo nos três primeiros jogos da série.

Eles usam e abusam dessas franquias principais? Sim. Poderiam investir em outros nomes? Sim: temos Star Fox e Metroid para serem explorados com mais propriedade [Nota do revisor: não esquece o meu F-Zero! :(]. Poderia pensar em novas franquias? Com certeza, até temos alguns nomes despontando por aí como Codename S.T.E.A.M. (3DS) e Splatoon (Wii U), só que os próprios fãs da Nintendo não dão muito valor a essas novas marcas, então por que a empresa tenderia a fazer o mesmo? Da forma como está o dinheiro continua entrando e o público se satisfaz.

splatoon

Um jogo de tiro cujo objetivo NÃO É matar… e ninguém tá nem aí… =/

Para entenderem o que estou querendo dizer, tenho amigos que compraram o Wii U única e exclusivamente para jogar Mario Kart 8. O que além de amor faria uma pessoa gastar mais de R$1.500,00 para jogar um único jogo? Não que eu realmente acredite nisso, porque a pessoa depois que tiver o console em casa vai passar a ver os outros jogos com outros olhos e invariavelmente começa a consumir mais. Mas essa foi a desculpa. O start para tudo.

É como se eu comprasse um Xbox One apenas para jogar Sunset Overdrive ou um PlayStation 4 para jogar Bloodborne, nos dois casos as pessoas me olhariam e diriam “nossa cara, tantos jogos e você vai comprar só pra jogar isso?”, mas porque com a Nintendo não achamos isso estranho? Aposto que vocês nunca pararam para observar isso.

É apenas um amor disfarçado. Você precisa de uma justificativa, tipo ir no mercado só para ver o rapaz ou a garota do caixa que você se apaixonou, mas que nunca trocou uma palavra além do essencial. Quase um amor platônico.

vendas-3ds-psvita

Querem outro exemplo? Mesmo com muitas reclamações dos brasileiros acerca do sistema de exibição em 3D usado no portátil da Nintendo e a saída dela do Brasil, o 3DS continua sendo muito mais vendido que o PlayStation Vita e convenhamos que ambos estão praticamente na mesma faixa de preço atualmente. Então nem dá para usar a desculpa de que o Vita é mais caro e por isso o 3DS vende mais.

Lembram do Wii? Ele provavelmente foi a maior porta de entrada para os vídeo games nos lares brasileiros, graças as inovações e possibilidades apresentadas pelo sensor de movimento que ele trazia. Famílias inteiras se juntavam apenas para poder jogar juntos. Pergunte a esses pais se o Wii U não seria a primeira opção deles hoje em dia. Fora que muitos desses lares hoje possuem consoles da Sony ou da Microsoft graças a Nintendo ter feito o povo pegar gosto pela brincadeira.

A Sony e a Microsoft correram atrás e evoluíram o que a Nintendo fez, temos o PS Move é o Kinect… mas ela fez primeiro. Ela teve peito de inovar. Mesmo com toda a política interna complexa e da cultura japonesa que dificulta bastante o “se arriscar” nos projetos da empresa, ela ainda assim conseguiu inovar diversas vezes com muito mais qualidade que as concorrentes.

Sabe outro motivo para eu afirmar com todas as letras que nos amamos a Nintendo? Quantas vezes vocês ouviram ou leram alguém dizendo que eles deveriam liberar a licenças dos exclusivos deles para outras empresas? Eu já ouvi e li infinitas vezes, especialmente dizendo que se eles liberassem ai que veríamos “Marios” e “Zeldas” de verdade. Cara, como assim? A essência deles é aquilo que eles são na Nintendo. Se virassem multiplataforma continuariam sendo aquilo lá. Ou vocês acham que veriam um Mario com gráficos ultra realistas? Por favor meus queridos, não sejamos hipócritas, pois tanto a Sony quanto a Microsoft sabem do poder e da importância dessas marcas e eles até poderiam se aventurar em um jogo ou outro, mas na essência, os jogos seriam os mesmos que você veem hoje nos consoles da Nintendo.

Estamos de olho nesses apaixonados enrustidos e que não se assumem. 😉

super-smash-roster

Infelizmente a saída da Big N do Brasil me desmotivou um pouco a comprar um Wii U, pela dificuldade em conseguir jogos e os preços abusivos praticados por algumas importadoras, mas acho que essa postura é algo passageiro e que logo as coisas voltarão ao normal. Enquanto isso nós vamos improvisando ou apenas esperando as coisas voltarem ao normal.

#VoltaNintendo

Categorias: Artigos, Consoles, Nintendo, Opinião
Tags: , , , ,

Curitibano que não fala lEitE quEntE, mas acha que biscoito é um ultraje as bolachas. Joga video games desde o dia em que seu pai apareceu com um Atari e um grande saco repleto de jogos e desde então já ouviu muitas vezes "esse video game vai estragar a televisão" e "você vai ficar cego de tanto olhar para essa tela".