Zer0 Awards 2017: A Senua é foda!

2017 passou rápido feito um raio (porra, ainda bem, né?) e já estamos em dezembro: época de festejos, de ter esperança pelo futuro e de relembrar o que nos deu alegria no passado. Então estamos de volta com nossa costumeira seleção dos melhores games de 2017.

Como os leitores e leitoras do Conquista já sabem, esta série anual de posts não visa indicar somente lançamentos de 2017 – afinal ninguém aqui caga dinheiro. Trata-se tão somente de uma oportunidade de indicarmos e falarmos livremente sobre os games que mais nos divertiram no ano que se passou, sejam eles lançados esse ano, sejam títulos mais antiguinhos.

Mas chega de enrolação. Eis os jogos que eu mais apreciei em 2017. E fiquem ligados que a lista do Sayron vem na quarta-feira!

GOTY Of The Year, bitch! – Hellblade: Senua’s Sacrifice

Hellblade: Senua's Sacrifice

Um dos games mais surpreendentes e mais fantásticos que eu joguei este ano, Hellblade ganhou fácil o topo do meu pódio pessoal. Vivenciar as aventuras da guerreira Senua e ter a chance de conhecer a triste realidade das pessoas que sofrem de psicose foi uma das experiências mais ricas que já tive ao jogar videogame.

Um belíssimo trabalho da Ninja Theory, sem sombra de dúvidas! Saiba mais lendo a minha resenha sobre este impressionante jogo.

Prêmio “De encher os olhos, os ouvidos e o coração” – Ori and the Blind Forest

Ori and the Blind Forest

Fazia muito tempo que eu não jogava metroidvanias e a minha namorada fez questão de me recomendar este belo trabalho da Moon Studios.

Ori and the Blind Forest me fez perceber como um gênero tão claustrofóbico como o metroidvania pode oferecer uma grande sensação de liberdade, ao mesmo tempo em que me cativou com seus belíssimos cenários, com sua música cativante e com a incrível jornada da criaturinha Ori para salvar seu lar.

Prêmio “Foi um prazer conhecê-lo” – The Witcher

The Witcher

Este ano também resolvi dedicar parte da minha rotina gamer a conhecer uma das obras mais importantes do mundo dos games e entender de vez porque The Witcher é um game tão respeitado.

Eu falei um pouco mais sobre minha experiência com este grande título da CD Projekt RED neste artigo. Confere lá! ^^

Prêmio “Relação de amor e ódio” – Street Fighter V

Street Fighter V

Street Fighter V me evoca um turbilhão de sentimentos: ao mesmo tempo que eu aprecio o esforço da Capcom em fazer um jogo de luta amigável aos iniciantes para renovar seu público e estimular o cenário competitivo, fico muito chateado com os inúmeros problemas que esse jogo ainda possui mesmo depois de 2 anos de atualizações constantes.

De qualquer forma, a minha paixão por Street Fighter e pelos games de luta em geral falou mais alto e este jogo fez parte da minha diversão de 2016 pra cá. Estou ansioso pelo Arcade Edition e torço pra que os problemas restantes no SFV sejam resolvidos de uma vez pela Capcom.

Prêmio “Smartphone: seu companheiro de aventuras” – GunBound M

GunBound M

GunBound M foi uma grande surpresa pra mim! Foi muito legal descobrir que um dos meus games de PC favoritos da minha época das LAN Houses voltou na forma de um game mobile free-to-play até bem caprichado.

Escrevi mais sobre esse game também aqui no Conquista. Dá uma olhada!

Menção honrosa – The Last of Us

The Last of Us

Liso que sou, só agora eu tive a chance de comprar meu próprio PlayStation 3. Dando prosseguimento à minha jornada pelos exclusivos da Sony da geração retrasada, finalmente vivenciei a marcante aventura de Ellie e Joel.

The Last of Us é, na minha opinião, a história de zumbis mais inovadora recentemente criada. Mal posso esperar pela continuação dessa grande história em The Last of Us: Part 2!

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário! ^^

Arte de fundo criada por Nataly Al-Sayf
Portfólio - Facebook - Twitter - Tumblr
Voltar para o topo
Arte de fundo criada por Nataly Al-Sayf
Portfólio - Facebook - Twitter - Tumblr
Voltar para o topo