FISH é a malemolência que faltava no tiro em primeira pessoa!

A partir de hoje publicaremos algumas indicações esporádicas de jogos independentes que estão sendo produzidos e precisam daquela forcinha marota para chamar a atenção do público. Falaremos um pouco dos jogos e de seus criadores em cada texto, bem como divulgaremos suas campanhas de crowdfunding caso já estejam no ar. Esperamos que gostem. ^^

Kubanacan era uma novela muito massa! Todo aquele climão caribenho praieiro de republiqueta das bananas, com ação, aventura, romance e um pescador que não gostava muito de vestir camisetas.

Doom e Quake eram jogos muito massa! Todo aquele climão tenebroso, com explosões, sangue, tripas, fases labirínticas, nenhuma história e um atirador que não gostava muito de sutileza na hora de matar monstros.

Arthur “Tuba” Zeferino é um desenvolvedor que escrevia sobre videogame em um blog muito foda massa! Ele gosta muito de Kubanacan e de jogos de tiro em primeira pessoa da década de 1990. Um belo dia ele resolveu meio que misturar essas duas coisas e fazer seu próprio jogo de tiro.

O resultado atende pelo nome de FISH: uma simpática e bem-humorada aventura que já em seus estágios iniciais de desenvolvimento está se mostrando um bocado promissora!

Gameplay do jogo FISH: um caranguejo gigante é um dos chefes do jogo.O jogo se passa na ilha paradisíaca de San Esteban, que foi invadida por homens-peixe piratas e o jogador controlará um pescador que tem um gancho no lugar de uma das mãos e que resolveu expulsar os malfeitores na bala. O jogo é fortemente inspirado nos clássicos jogos de tiro lançados para PC como Doom, Quake, Wolfenstein e outros.

A demonstração disponibilizada contém uma única e generosa fase, que já demonstra muito bem a proposta de FISH: a ação é frenética, com movimentação bem rápida e uma boa dose de desafio, como eram os FPS de antigamente. Além disso, a fase conta com vários corredores, portas, plataformas e salas, o que incentiva a exploração. Tudo embalado por um sambinha-rock muito bacana e efeitos sonoros bem carismáticos (sério, aperte ESC pra dar pausa no jogo pra tu ver uma coisa).

O mais legal é que você pode usar o gancho do pescador para agarrar objetos distantes e puxá-los para perto de si, bem como para subir em lugares altos, de forma bastante parecida com o ganchinho dos games da série Zelda. O gancho também puxa os próprios inimigos para que você possa dar um belo tiro em suas fuças escamosas com uma das várias armas de fogo disponíveis!

Gameplay do jogo FISH: usando o gancho para puxar um inimigo para perto.

Eu nunca gostei muito desses jogos de tiro antigos porque eu sempre jogava muito mal: eu era um moleque que mal sabia segurar um mouse direito e sempre tinha dificuldade pra vencer os desafios desses jogos. Mesmo Quake 3 Arena – que foi o único game dessa época que eu curti – era complicadinho pra caramba e eu acabava largando o jogo poucas partidas depois e voltando pro meu emulador de GBA com Pokémon Yellow.

Por isso eu fiquei verdadeiramente animado com esse jogo: FISH tem uma atmosfera muito convidativa e uma jogabilidade bem agradável, que promete ser desafiador e nostálgico pra quem curtia os jogos clássicos, mas sem exagerar na dificuldade e prender a atenção de novos jogadores. Quero muito me aventurar e explorar mais a ilha de San Esteban e, enquanto não consigo uma graninha pra colaborar com o sucesso do projeto, resolvi ajudar tentando convencer você leitor(a) a ajudar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

FISH está sendo desenvolvido para Windows, Linux e Mac e abriu campanha de financiamento coletivo no IndieGoGo já há um tempinho. Saiba mais sobre esse interessante e divertido jogo em fishpersonshooter.com, baixe a demonstração no itch.io e colabore para que esta grande ideia ganhe vida!

***

Você também é desenvolvedor independente e quer uma forcinha pra divulgar o seu trabalho? Manda uma mensagem pra gente! Ficaremos felizes em ajudar. ^^

[Arte da imagem de destaque por Bruno Atanasio.]

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário! ^^

Arte de fundo criada por Nataly Al-Sayf
Portfólio - Facebook - Twitter - Tumblr
Voltar para o topo
Arte de fundo criada por Nataly Al-Sayf
Portfólio - Facebook - Twitter - Tumblr
Voltar para o topo